Oasys Cultural
Pesquisa sem resultado

BLOG

1 2 3 4 5
Neagle arrasando na pré-venda

5 de janeiro de 2016

Rex Retriever, o adestrador de humanos

Na mitologia grega, a feiticeira Circe transformava homens em animais. Na literatura, a professora e escritora Ana Margarida Mignone fez o contrário, transformou um cão em gente – e ele também é escritor. Rex Retriever, personagem criado pela autora, é o narrador do livro de humor “Adestre Seu DONO Sem Estresse – com Rex Retriever”, um guia de adestramento destinados aos cães, não aos donos. Chame seu amigo de quatro patas para ler a entrevista junto com você.

 

Os seus livros anteriores são de poesia e literatura infantil. O que a levou a escrever um livro sobre adestramento canino?

 

Tudo se deu por conta de Dolly, uma cachorrinha que entrou em minha casa de mansinho e, mais que depressa, conquistou seu espaço. Totalmente rendida aos seus encantos e inexperiente no assunto, passei a obedecer a seus ‘comandos’ com uma fé quase cega! A situação, depois de pouco tempo, era clara e cômica: eu havia sido adestrada por ela. Comecei a me interessar e estudar mais sobre esse grande universo que se abria à minha frente. E foi diante de tantas descobertas e da plena consciência de minha condição absurda de dona adestrada, que surgiu a ideia de compartilhar minha experiência, em tom bem-humorado, com todos os apaixonados por cães.

 

Como agem as pessoas bem adestradas pelos seus cães?

 

Fazem todas as suas vontades. Conversam com eles, perguntam o que querem, cedem seu lugar no sofá ou na cama, deixam que eles decidam que direção seguir nos passeios, etc. Esquecem que, além de muito carinho, amor e proteção, cães precisam de firmeza e liderança por parte de seus donos, para se sentirem mais seguros, equilibrados e felizes.

 

Quais personagens cômicos ou livros contribuíram para a criação do Rex, o cão jornalista?

 

Para criar Rex e seu manual de adestramento de donos, li muitos livros sérios sobre cães e adestramento, de especialistas como, por exemplo, o famoso Cesar Millan, citado por mim no livro, e Victoria Stilwell, entre outros. Desde o início eu sabia exatamente a forma que o livro tomaria: um divertido manual de adestramento às avessas, no qual um cão escritor ensinaria a outros cães como mandar em seus donos. Muitos assuntos surgiram de minha relação com Dolly.

 

As pessoas ficam surpresas com seu livro? Como elas reagem ao fato de ser um guia aos cachorros, não aos donos?

 

As pessoas estão acostumadas com livros e programas de adestramento de cães e não de donos. O forte deste livro está justamente na brincadeira, na inversão. Quando as pessoas percebem isso, se identificam e, imediatamente, entram no clima. A partir daí a recepção é incrível.

 

Rex, o cão jornalista voltará a trabalhar em breve? Quais seus planos para o personagem?

 

Sim, ele não para nunca. Enquanto trabalha na página de seu livro no Facebook, interagindo com donos e seus cães, divertindo seus seguidores, conquistando corações e incentivando sempre a adoção e o ‘não’ ao abandono, Rex começa a colher histórias que revelam a incrível relação afetiva que existe entre donos e seus cães, e que farão parte de seu novo livro.

 

Parte da renda é destinada a abrigos e instituições ligadas à causa animal. Como é sua ligação com essas entidades?

 

Desde que Dolly entrou na minha vida, eu passei a entrar na vida dos cães que não tiveram a sorte que ela teve, de ter um lar e muito amor. Estamos sempre acompanhando, divulgando e participando de eventos e incentivando essas instituições. Rex, com toda a sua sabedoria, afirma que não vai parar até que todo cão tenha para si, um dono que realmente valha a pena! E eu também não vou!

 

- José Fontenele