Oasys Cultural
Pesquisa sem resultado

BLOG

1 2 3 4 5
Primeiro Piquenique Mulheres em Cena

10 de julho de 2017

Madrugada arrepiante

Fã de Sidney Sheldon e Marcos Rey, o escritor Roberto Giacundino estreia na literatura com o romance policial O lado escuro da madrugada (Editora Pandorga). A trama acompanha a jornalista Sandra Garcia na investigação do assassinato de um colega de emissora, com bastante suspense, reviravoltas e um final de gelar o sangue. Lançamento no dia 15 de julho, sábado, no Fran’s Café ao lado do metrô Consolação, São Paulo.

 

Você levou muitos anos escrevendo O lado escuro da madrugada. Quanto tempo ao certo? E por quê?

O lado escuro da madrugada levou mais de 6 anos para ser escrito, mas por falta de tempo em colocar no papel a história do que qualquer outra coisa. Meu processo criativo normalmente é assim: imagino a trama, os personagens principais, as grandes reviravoltas e mentalmente repasso cena a cena. Depois, no processo de escrita, esta ideia inicial é refinada e enriquecida, novas ideias surgem, novos personagens, mas nunca me desvio da inicial.

 

O falecido escritor e roteirista Marcos Rey é citado mais de uma vez na trama. Você é fã dele. Conte essa história.

Marcos Rey é para mim e para várias gerações um mestre da literatura nacional juvenil e do romance policial.Muitos adquiriram o hábito da leitura com seus livros da série Vaga-Lume. Li todos. Me tornei fã e descobri relíquias dele voltadas ao público adulto. Infelizmente não o conheci, ele faleceu uma semana antes de eu contata-lo, mas mesmo assim tive o prazer de conversar inúmeras vezes com sua viúva, Palma Donato. Esta homenagem é mais do que merecida, o conheci através de sua obra e temos em comum o amor pelo cenário urbano.

 

Você também leu toda a obra de Sidney Sheldon, o rei dos romances de entretenimento dos anos 80 e 90. O que aprendeu com ele?

Sidney Sheldon é o mestre do entretenimento, é difícil listar seu gênero porque ele mistura quase todos de forma magistral. Com ele aprendi a importância do gancho no final de cada capítulo que prende e toma de assalto o leitor e também a importância de chocar no final de forma coerente para ficarmos satisfeitos. Muitas vezes ignorado pela crítica ou especialistas, mas nunca pelo grande público, seus livros vendem muito até hoje.

 

A protagonista de O lado escuro da madrugada é uma mulher com forte carga emocional e muita personalidade. A ideia é que ela continue à frente dos casos de sua autoria?

Sandra Garcia tem vida própria, caminhou pelas páginas e por cada acontecimento com muita personalidade e se tornou quase uma “velha amiga”. Tem uma história de vida apaixonante, como a de milhares de brasileiros. Veio do nada, da pobreza, do esquecimento, mas trilhou um caminho de sucesso. Tenho muitas ideias prontas de novas histórias, mas com outros protagonistas. Mas cabeça de escritor é assim, gosto de acreditar que ela viveu muitas aventuras, e, de repente, num dia qualquer, vem uma ideia fantástica e quem sabe ela está de volta!

 

O que espera alcançar como escritor?

Neste momento minha expectativa é que cada leitor de O Lado Escuro da Madrugada leia com muita satisfação, se divirta, se emocione e vibre muito com a história e cada personagem. Creio que a primeira ideia de sucesso para quem escreve deva ser esta: ser lido e proporcionar horas de diversão, cultura, informação e, de certa forma, fazer companhia para cada leitor. Isto para mim é sucesso, independentemente da quantidade se 10, 100, 1.000 ou um milhão de leitores! Se bem que a última opção não seria nada mal não é.

 

- Valéria Martins